Ronda de Basto: a logística

Falta uma semana para a Ronda de Basto! A previsão meteorológica, apesar de não ser das melhores, não é uma calamidade. Em julho, não se espera outra coisa, não é?

previsao

Previsão para Cabeceiras de Basto

Se estás interessado/a em participar na primeira edição da Ronda de Basto, presta atenção aos pormenores abaixo, pois podem fazer a diferença se quiseres passar muitas horas na montanha repletas de boas memórias!

Horário

A partida será no centro de Mondim de Basto, perto do Tribunal Judicial, no ponto onde começa o PR1, às 6h00 da manhã do dia 30 de julho. Este horário vai ser ainda sujeito a votação pelos participantes, podendo sofrer alterações, pelo que agradecemos o teu contributo preenchendo o questionário neste link.

Podes consultar o local exato da partida aqui.

mondim-centro

Percurso

MUITO IMPORTANTE:

  • Deves levar o percurso no teu relógio e deves ser capaz de o seguir autonomamente. Consulta o Roteiro da Ronda para obteres o percurso.
  • Não podes depender de outros para te orientares. Se aqueles de que dependes têm algum problema que os impeça de prosseguir, acaba ali a tua aventura.
  • Se nunca ou raramente usas a função de seguir percurso no teu relógio, deves ensaiar o processo com antecedência.
  • É aconselhável levares um backup do percurso noutro dispositivo, por exemplo no telemóvel. Aplicações como o Maverick são muito boas para esta função.

Deves estar mentalmente preparado para enfrentar dificuldades várias ao longo do percurso: passagens fechadas pela vegetação ou por vedações, calor excessivo, problemas físicos contigo ou com algum colega, etc. Tudo isto pode obrigar-te a fazer alterações ao percurso originalmente previsto e terás de pacientemente procurar retomar o caminho correto ou apoiar o teu colega em dificuldades.

Abastecimentos

Como sabes, na Ronda não há os habituais abastecimentos que vês nas provas. Tens de tratar dos teus próprios abastecimentos, da forma que melhor te convier: carregados na mochila, comprados em algum café/mini-mercado durante a Ronda, ou disponibilizados no percurso por alguém da tua confiança. Deixamos aqui algumas referências que podem ser úteis:

  • Pontos de água (fontanários, bicas de água, civilização)
    • km 6: Senhora da Graça
    • km 15: Fontelas
    • km 25-37: Leiradas-Abadim (várias aldeias)
    • km 44: capela de Santo António
    • km 52-63: Bastelo-Cucana (várias aldeias)
    • km 70: Petimão
    • km 85: Mondim de Basto
  • Sólidos (civilização mais avançada)
    • km 37: Abadim
    • km 52: Bastelo
    • km 85: Mondim de Basto
  • Pontos de encontro – locais mais conhecidos e acessíveis, onde qualquer pessoa pode chegar facilmente:
    • km 6: Senhora da Graça
    • km 18: Ponte do Arco de Baúlhe (sobre o Tâmega, pois há outra sobre o rio Ouro)
    • km 33: Igreja de Rio Douro (fica a poucas dezenas de metros do percurso)
    • km 37: Igreja de Abadim (idem)
    • km 52: Bastelo
    • km 57: Fojos (fica na estrada Norte Fafe – Cabeceiras de Basto, após Várzea Cova)
    • km 70: Petimão (ponte sobre a ribeira de Petimão na estrada que liga a Quintela, abaixo da estrada Leste Fafe – Cabeceiras de Basto, após Gandarela)

Como já percebeste, não é um percurso excessivamente selvagem e terás várias oportunidades para repor as tuas provisões de líquidos e sólidos ou encontrar-te com alguém que te possa ajudar em alguma dificuldade.

Material recomendado

  • Reservatório de líquidos para pelo menos 1 litro
  • Alimentação suficiente para pelo menos 10 horas na montanha
  • Telemóvel com bateria carregada
  • Relógio com função de seguimento de percurso
  • Backup do percurso no telemóvel ou outro dispositivo onde possa ser seguido
  • Protetor solar
  • Manta térmica
  • Frontal

Banhos

O Centro BTT de Mondim de Basto, a 5 minutos (de carro) da zona de partida/chegada, disponibiliza os chuveiros para um banho no final do desafio. O custo do duche é 1€ por sessão. A sua utilização não depende da presença do staff do Centro BTT, pois funciona com um dispositivo de pagamento automático.

Podes consultar o percurso de Mondim de Basto até ao Centro BTT aqui.

centrobtt

Contactos Úteis

  • Hélder Pinto (Rondeiro organizador): 917 045 555
  • Polícia Municipal de Cabeceiras: 253 669 105
  • Bombeiros Cabeceirenses: 253 662 133
  • Bombeiros de Celorico: 255 321 223
  • Bombeiros de Mondim: 255 381 251
  • GNR de Cabeceiras: 253 669 060
  • GNR de Celorico: 255 321 337
  • GNR de Mondim: 255 381 122
  • Táxis Cabeceirenses: 253 662 893
  • Mondim Táxi: 255 389 000 | 965 398 201
  • Taberna do Carvalho (Bastelo, km 52): 253 118 860
  • Duarte Martins (Centro BTT de Mondim de Basto): 963 423 153

Um possível plano para a Ronda

Este artigo pretende ser uma possível referência para aqueles que se queiram aventurar na Ronda e não tenham grande experiência deste tipo de desafios. No entanto, leiam isto com muita cautela, pois não sou um exemplo de homem prevenido! 🙂

Não sendo um grande atleta e não tendo grande capacidade de resistência sob temperaturas elevadas, tenho de me preparar para aguentar o melhor possível as muitas horas a correr os montes sob o sol de junho. Poderia iniciar o percurso de noite, para evitar o calor, mas, às escuras, a experiência não teria a mesma piada. Assim, conto partir pouco depois do sol nascer.

Nada como correr ao nascel do sol...

Nada como correr ao nascel do sol…

O que irei levar no corpo: uma combinação meias-sapatilhas confortável que seja muito boa a evitar bolhas nos pés (as Inov-8 e umas meias baratas, curtas e finas costumam funcionar!), uns calçõezitos que não provoquem fricção extra, uma boa t-shirt técnica (a que trouxe do Ciucas Trail em 2013 é a minha favorita!), e um buff para proteger a cabeça do sol. Já que falamos de sol, é importante não esquecer de me besuntar com protetor solar – são raros os treinos em que me lembro de o fazer, infelizmente! E outra besuntadela não menos importante é a da vaselina nas partes mais sujeitas a fricção!

Na mochila, conto levar dois cantis de 3dl cada com água e um saco de 1l com água + flor de sal + açúcar louro. Conto com os pontos de água durante o percurso para reforçar os cantis. Irei também levar manta térmica (posso ser surpreendido por uma lesão e o vento nas Serras de Fafe não é meigo), gel para eventuais dores, e lenços para as emergências sanitárias. A menos que esteja tempo frio, não levarei corta-vento, embora peça a alguém da família para andar com um no carro de apoio, não vá haver surpresas… Quanto a alimentação, como sou um gajo esquisito, nada de géis e coisas do género. Vai ser frutos secos (figos, uvas, tâmaras), barras moles de amêndoas ou nougat, e 2 ou 3 sandes. Conto reforçar a mochila em pontos estratégicos (ver abaixo).

Alguns dos alimentos favoritos em corrida

Alguns dos alimentos favoritos em corrida

Finalmente, quanto a tecnologia, tenho de levar um relógio com elevada autonomia – pelo menos 12 horas – e com capacidade para seguir percursos. Conheço uma boa parte do trajeto, mas a (falta de) memória prega-me muitas partidas. Recomendo o A-Rival SpoQ SQ 100 (também conhecido por GlobalSat GH-625XT). Não custa uma fortuna, como os amigos Suunto, Garmin e afins, e parece funcionar muito bem! Irei também levar 2 telemóveis, um deles equipado com o software Maverick (o amigo Mauro já me safou várias vezes com ele), também com o percurso carregado, como suplente do relógio.

As minhas expetativas (pessimistas, dirão alguns) quanto a metas horárias são as seguintes:

  • 06:00 – partida do Santuário da Lapinha
  • 07:30 – chegada a São Salvador
  • 08:30 – chegada ao Santinho
  • 09:00 – chegada à Lameira e paragem para primeiro reforço de abastecimento – conto com o reforço líquido/sólido de um carro de apoio
  • 12:00 – chegada à Queimadela e paragem para segundo reforço de abastecimento
  • 14:00 – chegada a Santa Marinha
  • 15:30 – chegada a Santo Antonino e paragem para terceiro reforço de abastecimento
  • 16:38 – solstício de Verão, algures entre Santo Antonino e a Lapinha – momento de comunhão com os elementos da Natureza!
  • 17:00 – chegada à Lapinha

Agradeço comentários, caso me esteja a esquecer de algo importante ou esteja com expetativas otimistas em relação a alguma coisa!